3 casos de sucesso de rebranding

Quando uma empresa decide fazer um rebrand, o seu objetivo passa por criar uma nova “persona” para a sua marca e equipa, não só para que clientes mais antigos e fiéis fiquem satisfeitos com as mudanças da empresa mas também que potencie a vinda de novos clientes resultantes dessas mudanças. As empresas e as suas marcas precisam de evoluir para se manterem relevantes e se posicionarem de forma destacada num mercado cada vez mais agressivo

Apple

Possivelmente o rebranding com maior sucesso de todos os tempos. A Apple transmite a mensagem de que o minimalismo e a simplicidade é tudo aquilo de que as grandes “massas” precisam. Uma empresa que se encontrava praticamente falida antes do regresso de Steve Jobs, que quando entrou para a empresa fez o rebrand de toda a marca Apple. Com inspiração no design minimalista e com um pensamento vanguardista, a empresa teve um crescimento colossal, sendo considerada atualmente, uma das maiores empresas do mundo.

Old Spice

Apareceu pela primeira vez em 1937. Old Spice era visto como um produto para homens mais velhos, tendo milhões de clientes fiéis durante várias décadas. Recentemente, foi mais proeminente em termos de popularidade e com o seu orçamento elevado destinado à publicidade conseguiram atingir milhões de pessoas. O seu rebranding começou com novos produtos, publicidade divertida e dirigida a um público mais jovem. Como resultados dessas ações, conseguiram um grande número de novos clientes, principalmente as camadas mais jovens.

McDonald’s

Quando o famoso documentário “Supersize Me” saiu, causou um grande alvoroço no seio empresa. Milhões de pessoas boicotaram McDonald’s criando assim grandes prejuízos.
Como forma de responder às adversidades, apostaram não só no rebrand da marca, mas também adotaram toda uma nova atitude. Passaram a disponibilizar opção de leite e maçãs fatiadas nos seus menus infantis, menus de salada e ainda renovaram a decoração dos seus restaurantes de forma a ficar mais profissional e confiável.
É um exemplo clássico de como é importante ouvir o que os clientes querem e seguir/aceitar as suas sugestões.