Internacionalização, Sim ou Não?

Na passada sexta-feira, 24 de novembro, teve lugar a 1ª edição do Bootcamp de Internacionalização enquadrada no programa da 20ª Feira do Empreendedor organizado pela ANJE - Associação Nacional de Jovens Empresários e a CCIP - Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa.

Comecemos pelo básico, afinal o que é a Internacionalização? De uma forma simplista podemos dizer que é “ um processo de adaptação das operações das empresas face aos ambientes internacionais”. De facto é isto, mas todo o processo implícito é bem mais complexo. De acordo com as palavras de Pedro Magalhães “ não é fácil, nem rápido, nem tão pouco barato” e os resultados serão apenas visíveis a médio longo prazo. A necessidade de investimento é um fator inegável, “é preciso semear para colher mais tarde”, por isso as empresas que realmente querem apostar na internacionalização devem persistir, “não se pode desistir à primeira”!

Para uma empresa que tome a decisão de se internacionalizar deve, antes demais, perceber quais são as suas motivações. Há uma série de questões que devem ser muito bem pensadas antes de serem tomadas quaisquer decisões:

- O produto/serviço é exportável?
- Que barreiras é que vou encontrar?
- Como é que escolho o mercado no qual me pretendo internacionalizar?
- Como é que promovo os produtos/serviços nos novos mercados?

Para além destas importantes questões, há uma que achamos ser fundamental – Como é que me vou diferenciar? Convém não esquecer que, seja o mercado que for, a concorrência vai existir sempre!

Após formuladas todas as questões e fazendo sentido a internacionalização, o próximo passo é PLANEAR.

O planeamento é fundamental! É imprescindível fazer uma análise de diagnóstico tendo em conta as motivações que levam uma empresa a apostar num mercado externo.

O primeiro passo é ter uma atitude positiva. Ter noção de que se vai sair da zona de conforto e aceitar o desafio! Se por um lado existem riscos, é inegável, por outro também há a possibilidade de retorno.

Sendo o processo de internacionalização normalmente um movimento estratégico para a maioria das empresas, permitindo a diversificação da carteira de clientes e aumentar a exposição da empresa a potenciais parceiros comerciais, é importante não esquecer as dificuldade inerentes à gestão deste processo.

Deve-se ter em consideração quais são as principais barreiras para a entrada das empresas em novos mercados:

- Internas (recursos humanos não adaptados ás exigências para a empresa se inserir num mercado externo , falta de capacidade financeira para sustentar o processo de internacionalização);
- Parceiros (Falta de canais de distribuição);
- Ambiente (diferenças linguísticas e culturais);
- Comerciais ( Flutuação das taxas de câmbio, quando os contratos são celebrados em moeda estrangeira)

Em suma, a internacionalização de uma empresa vai depender de tomadas de decisão devidamente planeadas, estrategicamente pensadas para que o objetivo possa ser atingido com sucesso. Está a pensar em levar a sua empresa além fronteiras? A EBS pode ajudá-lo a delinear e executar a sua estratégia. Mais informações aqui.

empreendedor