Pode o Digital pôr em risco os meios tradicionais?

Em Portugal, metade do investimento em publicidade por parte das empresas ainda é alocado para a televisão. Contudo, cada vez mais o consumo de meios é feito através de smartphones e computadores, ultrapassando os 65% a percentagem de penetração da internet por dia.

Pela primeira vez na história, o investimento publicitário em digital nos EUA foi superior àquele que é registado em televisão. A Adidas apresentou como estratégia para o ano de 2017, o abandono total de investimento para a televisão, apostando todo o orçamento em marketing digital. O principal objetivo desta mudança de estratégia prende-se com a proximidade com o seu público-alvo, os jovens, aumentando assim o volume de vendas.

Estarão os Media tradicionais condenados? Este processo não terá retorno?

Para muitos, os meios tradicionais vão continuar a existir e podem ganhar relevância, mas terá de existir uma digitalização, dever-se-á “pensar digital no ecrã televisivo”, tendo a televisão que incorporar cada vez mais a tecnologia, afirmando-se como um meio de experiências, interativo e inovador.

Segundo a Coca-Cola, a televisão continua a ser o meio mais eficaz, com maior impacto e maiores índices de notoriedade, garantindo maior retorno e eficácia da mensagem. Ainda se usa muito o mote de “Eu vi na televisão” e por isso é real e verdadeiro, continuando a ser o meio mais credível para fazer crescer uma marca.

É, então, fundamental falar numa fusão de meios como forma de espelhar uma comunicação única e eficaz, de forma a oferecer ao consumidor as melhores experiências de marca. É um erro considerar o marketing digital como um meio de finalização, porque este é um dos meios mais fortes para construir notoriedade e dar a conhecer produtos.

A Kia acaba de lançar um concessionário da marca numa plataforma de Tv Commerce onde é permitido conhecer a gama de produtos e marcar test-drives com o comando da televisão, passando a ser um meio diferenciador para comunicar com novos perfis de consumidor. Criar notoriedade ao mesmo tempo que gera vendas e acrescenta valor à marca é o objetivo da Kia, que espera atingir seis mil vendas no mercado nacional.

Assim, os medias tradicionais podem ainda ser reinventados e adaptados à realidade digital que atravessamos.

mkt tradicional vs online