The Next Generation

X (1965 – 1979) – Y ou Millennial (1980 – 1993) – Z (1994 – 2011) – ALPHA (2012 – atualidade)

De todas as gerações apresentadas ao longo dos últimos anos, sem dúvida que os Millennials ou Y são os mais estudados, por serem atualmente a maior população ativa. Contudo, surgem duas novas gerações à qual as marcas necessitaram de saber dar resposta se quiserem continuar a ser competitivos. Já sabemos quais são os valores dos Millennials, quais as suas redes sociais favoritas, qual a sua atitude face ao trabalho, lazer, gastos em compras online..e então a Gen Z? Quem são eles?

A Gen Z é a que finaliza o abecedário latim e apesar de não existir uma concordância relativamente ao espaço temporal em que terminam os Millennals e iniciam a Z, o comum é afirmar que esta nova geração iniciou em 1994 e terminou em 2011. Se fizermos as contas, atualmente os mais velhos possuem 24 anos e os mais novos 6, sendo estes a nova vaga de consumidores com a qual as marcas devem interagir. Estes novos consumidores começam a entrar para o mercado de trabalho e trazem consigo valores que diferem dos seus antecessores: procuram as melhores oportunidades de emprego, arriscam, têm medo de um trabalho que não condiga com a sua personalidade, que não lhes dê progressão profissional e que demonstre discriminação salarial entre homens e mulheres. São mais ativistas, usam as redes sociais para seu benefício e são fieis às marcas, se estas forem honestas e souberem manter o interesse. São hiperconectados, ou não fossem conhecidos como Nativos Digitais, têm acesso à informação de forma muito mais rápida uma vez que estão presentes e a utilizar em simultâneo várias plataformas online. Desconfiam, investigam e compartilham com os seus pares as suas opiniões, ainda mais que os Millennials. São impacientes e é a esta geração que devemos dar atenção se quisermos nos manter a par das tendências.

Já agora, sabe qual é a Geração a seguir à Z?  Chama-se ALPHA e iniciou-se em 2012, o seu nome é proveniente da nomenclatura grega que vem substituir o latim, que terminou na Geração Z.